Setor de robótica na América Latina deve crescer 21%, afirma IDC

Por Rafael Arbulu | 15 de Abril de 2019 às 08h39
Reuters

O mercado latino-americano de robótica deve crescer 21% nos próximos três anos, segundo conclusão da firma de consultoria e inteligência de mercado IDC em seu relatório intitulado Guia Semestral Global de Investimento em Robótica. Para a empresa, esse avanço deverá ser puxado majoritariamente pela indústria de produção alimentícia, que vem apresentando alta demanda por robôs industriais capazes de atuar na área.

O estudo também aponta que o mercado de robôs na América Latina encerrou 2018 com um valor de US$ 1,040 bilhão, com continuidade de crescimento para 2019, quando espera-se que ele atinja a marca de US$ 1,266 bilhão — um crescimento de 21% em relação ao ano anterior, com 73% de robôs industriais, 27% de robôs de serviços e 0,09% de robôs de consumo.

Em 2022, a expectativa é de que robôs industriais sigam como os maiores representantes do setor na América Latina, com 72% de presença no mercado que, até lá, deve atingir valor de US$ 2,150 bilhões puxado por Brasil e México, os dois maiores produtores da indústria na região. Atualmente, robôs industriais estão em alta demanda devido às suas avançadas capacidades de montagem, solda, mistura, embalagem de produtos, inspeção e engarrafamento.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.
Mercado da robótica em alta nos setores de produção alimentícia e de serviços, aponta o IDC

No âmbito de serviços, robôs são comumente usados para atividades como embalagem, inspeção de tubulações, produção agrícola e segurança. Segundo Alejandro Floreán, vice-presidente de consultoria da IDC para a América Latina, “esses robôs irão crescer na área de agricultura, principalmente na colheita de frutas e verduras, e também irão crescer na modernização da infraestrutura dos países da América Latina”.

Infelizmente, a firma não tem dados relevantes sobre a presença da indústria robótica nos setores voltados ao consumo, pois esses vêm sendo precedidos pela presença de assistentes virtuais e componentes automatizados de software. Fora isso, a IDC começa a dar conta apenas de casos como robôs de menor porte, que auxiliam em atividades como limpeza e conservação do lar.

“Nas indústrias de alto risco, tais como a mineração, os robôs podem representar um papel muito importante para garantir a segurança dos seres humanos e, além disso, aumentar a eficiência em atividades repetitivas”, concluiu Alejandro Floreán.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.